Tuesday 27 Oct 2020

Processo de equivalência excecional dos Cursos ITTF / Plano Nacional de formação de Treinadores

O Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. (IPDJ, IP), através do Departamento de Formação e Qualificação, é a única Entidade Certificadora no âmbito do desporto que, em parceria com as Entidades Formadoras, nomeadamente, com as federações desportivas (com estatuto de utilidade pública desportiva), qualifica em três níveis, futuros treinadores de desporto.

Para que tal se concretize, existem normas e regras descritas no Regulamento da Organização de Cursos de Treinadores de Desporto, emitido em Dezembro de 2012, que se aplicam ao cumprimento integral dessa formação em três áreas, a saber:

 

GRAUS DE FORMAÇÃO

 

COMPONENTE DE FORMAÇÃO              I                       II                       III

FORMAÇÃO GERAL                              41 horas          63 horas        91 horas

FORMAÇÃO ESPECÍFICA                  40 horas          60 horas        90 horas

FORMAÇÃO PRÁTICA (ESTÁGIO)      1 Época         1 Época      1 Época 

          Desportiva      Desportiva    Desportiva

 

NOTA – Estes requisitos devem ser considerados como indicadores mínimos para a prossecução dos objetivos gerais dos Cursos de Treinadores de Desporto.

Esta é, por conseguinte, a única via a percorrer para que um treinador possa obter, em cada época desportiva, a Licença emitida pela Federação Portuguesa de Ténis de Mesa (FPTM) que lhe permita liderar uma equipa e orientar os seus mesatenistas, em competições regionais e as constantes do Calendário Nacional de Provas.

Por outro lado, têm decorrido paralelamente em Portugal cursos de treinadores de Nível I no quadro de um Programa de Solidariedade Olímpica e de Desenvolvimento, promovidos pela ITTF (International Table Tennis Federation) e dirigidos para países que não disponham de formação de quadros técnicos, que não é, como já foi explicado o caso português.

No sentido de desfazer equívocos quanto à certificação e qualificação dos treinadores que pretendam encetar um percurso que culmine no topo da sua formação técnica, sublinhamos que só o IPDJ através das federações de modalidade (neste caso) têm essa competência.

Contudo, como a FPTM tem dado o seu aval à realização dos cursos ITTF, nível I, quer proporcionar uma oportunidade a todos aqueles que concluíram estas ações de formação com aproveitamento, de se reposicionarem no Plano Nacional de Treinadores, no âmbito do IPDJ.

Assim, todos os diplomados ITTF – Nível I – até ao momento presente, podem requerer excecionalmente a equivalência da fração correspondente à Formação Específica, mediante a apresentação do diploma respetivo até ao dia 30 de Abril de 2014, a fim de ser submetido a uma análise dos seus conteúdos programáticos.

Após esta etapa, o candidato matricula-se no próximo curso de treinadores de nível I, no sentido de completar a parte restante da Formação Específica, bem como a totalidade da carga horária (41 horas) correspondente à Formação Geral.

Depois esta data, não será concedida mais nenhuma equivalência a qualquer técnico com o diploma ITTF – Nível I.

 

Presidente da República recebeu FPTM em audiência privada

Uma delegação da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa (FPTM) foi hoje recebida em audiência privada pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, na Presidência da República.
A visita teve como principal objetivo apresentar o Campeonato da Europa de Equipas de Ténis de Mesa que se realiza em Lisboa, entre os dias 24 e 28 de setembro deste ano.

A delegação da FPTM foi constituída pelo presidente, Pedro Miguel Moura, pela vice-presidente, Margarida Dias Ferreira, e pelo presidente da Comissão Organizadora do Europeu, Sérgio Castanheira.


Antes do início da audiência, o presidente da FPTM ofereceu uma moldura com a primeira ficha de filiação como atleta do Presidente da República, que foi praticante federado durante vários anos, tanto no Algarve como em Lisboa.
Durante a audiência foram debatidos vários assuntos relacionados com a modalidade, nomeadamente “a apresentação da organização do Campeonato da Europa que esperamos que seja o evento desportivo do país, em termos de mobilização nacional. Falámos ainda sobre o que perspetivamos para o futuro da modalidade”, referiu Pedro Miguel Moura.
O presidente federativo acrescentou que Cavaco Silva foi “atleta federado, e para nós é um tremendo orgulho e uma honra que um ex-mesatenista seja hoje o Presidente da República. Continua a ser um apaixonado pela modalidade, que continua a acompanhar com muito interesse. Os Jogos Olímpicos de Londres 2012 tiveram um impacto tremendo no Presidente da República, que tem acompanhado com interesse os resultados, tanto da Seleção principal como também dos mais jovens.”
O chefe de Estado português referiu que iria colocar o Campeonato da Europa na sua agenda, de forma a poder estar presente.

Patrocinadores